• A METAFÍSICA DO AMOR – SCHOPENHAUER:

    Por: Juliana Vannucchi   Este texto é baseado na obra O Mundo Como Vontade e Representação. Neste livro, Arthur Schopenhauer discorre sobre diversos assuntos e, dentre tais, há um capítulo específico sobre o amor, que é justamente o foco deste texto. Um primeiro esclarecimento importante é que a metafísica do amor está inteiramente conectada como

  • VOLTAIRE – Contos:

    Por: Juliana Vannucchi   Em 1972, a coleção “Imortais da Literatura”, publicada e organizada pela editora Abril, lançou o volume 40, que consiste em uma notável coletânea de contos escritos por Voltaire (Paris/1694 – Paris/1778). O livro tem mais de 600 páginas e possui um excelente complemento que consiste em breves notas introdutórias escritas por Sérgio

  • PELA TOCA DO COELHO:

    Por: Juliana Vannucchi (…) “É um vegetal. Não parece, mas é.” A Duquesa responde: a moral disso é “seja o que você parece ser“. (p. 73). Alice No País Das Maravilhas – Uma possível interpretação filosófica da obra: Introdução:         Alice No País Das Maravilhas (1865) é um livro constantemente reinterpretado e analisado. Não há,

  • MATRIX e o MITO DA CAVERNA:

    Por: Juliana Vannucchi e Alessandro Olivieri “O que é real? Como você define o ‘real’? Se você está falando sobre o que você pode sentir, o que você pode cheirar, o que você pode saborear e ver, o real são simplesmente sinais elétricos interpretados pelo seu cérebro”. (Morpheus). Matrix é um filme de grande sucesso,

  • MORAL DOS SENHORES E MORAL DOS ESCRAVOS:

    Por: Alessandro Olivieri Em outro texto postado anteriormente em nosso site, no qual foi explorado o conceito de Vontade nos pensamentos de Schopenhauer e Nietzsche, abordamos como tópico principal, a questão da luta inevitável que compõe o mundo e mostramos que o homem, como parte deste cenário, inevitavelmente também faz parte desta habitual luta. Dessa

  • O CONCEITO DE VONTADE NAS FILOSOFIAS DE A. SCHOPENHAUER E F. NIETZSCHE:

       Por: Alessandro Olivieri e Juliana Vannucchi    Este texto busca apresentar as bases conceituais da Vontade, termo de imensa relevância nos contextos do sistema filosófico de dois grandes pensadores contemporâneos: Arthur Schopenhauer (1788 -1860) e Friedrich Nietzsche (1844-1900). Para tal, são feitas analogias que exploram tanto diferenças quanto semelhanças entre os significados da Vontade.

  • AS DIFERENÇAS ENTRE METAFÍSICA e FÍSICA:

    Por: Juliana Vannucchi e Alessandro Olivieri     A palavra “metafísica” é originária do termo grego “metàphysis“, sendo que “meta” pode ser traduzida como “além” ou “depois” e “physis” como “física” ou “natureza”. Sendo assim, pode-se entendê-la como “além da física” ou “depois da física”. Esse termo foi cunhado por Andrônico de Rodes (século I), que foi

  • A MANIFESTAÇÃO DA VONTADE NA FISIOLOGIA VEGETAL:

    Por Juliana Vannucchi   Um dos pilares da filosofia de Arthur Schopenhauer é a Vontade, compreendida como o princípio metafísico irracional, como a “coisa em si” que se encontra, de maneiras distintas, presente em todos os elementos da natureza (tanto dos orgânicos quanto dos inorgânicos), através dos quais se expressa em aparições físicas. Em uma

  • O PROBLEMA DOS UNIVERSAIS:

    Por Juliana Vannucchi e Paulo Pedroso   Este texto pretende transmitir as principais ideias de um tema que foi discutido por muitos pensadores ao longo da história da Filosofia. Assim, considerando o fato de que a questão dos universais foi objeto de reflexão das obras de muitos filósofos cujos posicionamentos divergem, iremos transmitir apenas algumas

  • AS NOÇÕES DE DÚVIDA CÉTICA E DO COGITO NA FILOSOFIA DE DESCARTES:

    Por Luiz Henrique Zanatta Semeler            Este texto é baseado na obra Meditações Metafísicas, de René Descartes e se propõe a explicar os graus da dúvida cética que se encontram na Primeira Meditação, e também a maneira pela qual o filósofo francês chegou ao cogito ergo sum na Segunda Meditação.             Talvez o problema mais