• SOBRE A LOUCURA:

    Por Juliana Vannucchi     Em sua obra magna, denominada O Mundo Como Vontade e Representação, Arthur Schopenhauer dedica um capítulo para analisar a loucura. Abaixo, segue uma exposição textual dos principais tópicos deste tema, feita com base no referido livro.    Há dois tipos de loucura que são analisadas neste capítulo, sendo que cada uma

  • O PESSIMISMO DE SCHOPENHAUER:

    Por Juliana Vannucchi VIVER E SOFRER: Partindo da premissa de que o ser humano é essencialmente vontade, e de que o mundo que o cerca consiste mera e unicamente em representação desta vontade não deliberada, não passando assim, de ilusão, o pensamento de Schopenhauer torna-se pessimista. O filósofo estava ciente de que sua obra seria

  • SOBRE A ESSÊNCIA ÍNTIMA DA ARTE (Arthur Schopenhauer):

    Por Juliana Vannucchi (…) As artes dizem: “Vê aqui, eis a vida (…) * Sobre a Essência Íntima da Arte (O Mundo Como Vontade e Representação, Tomo II, Capítulo 34, em conexão com o 49 do primeiro Tomo).     A essência da arte é apresentada logo nas primeiras linhas do capítulo, e ela consiste, conforme

  • SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES NA PERSPECTIVA DE ARTHUR SCHOPENHAUER:

           Por Juliana Vannucchi      SÓCRATES, PLATÃO E ARISTÓTELES NA PERSPECTIVA DE ARTHUR SCHOPENHAUER: A seguinte publicação baseia-se no texto “Fragmentos Sobre a História da Filosofia”, que é parte do livro Parerga e Paralipomena, publicado na Alemanha em 1851, e escrito por Arthur Schopenhauer. O objetivo deste conteúdo é aproximar o leitor da interpretação que o

  • A RELIGIÃO NA CONCEPÇÃO DE SCHOPENHAUER:

    Por Juliana Vannucchi O filósofo alemão Arthur Schopenhauer parece ter sido o pioneiro na introdução direta de elementos do pensamento oriental na filosofia do ocidente. O Hinduísmo e o Budismo foram fontes de inspiração e de influência para o pensador que, com notável frequência, menciona alguns de seus aspectos em suas obras. Porém, apesar de

  • HOMEM COMUM versus HOMEM SUPERIOR:

    Por Juliana Vannucchi “O saber é, em tudo, a principal fonte de felicidade” – Antígona, 1328. A filosofia de Arthur Schopenhauer possui um viés considerado como sendo pessimista, pois aborda o sofrimento como um de seus principais aspectos. Porém, o pensador nos deixou reflexões sugestivas de como alcançar a felicidade para viver de maneira mais

  • LIVRE-ARBÍTRIO EM SCHOPENHAUER (introdução):

    Por Juliana Vannucchi “Cada um acredita de si mesmo a priori que é perfeitamente livre, mesmo em suas ações individuais, e pensa que a cada momento pode começar outra maneira de viver […]. Mas a posteriori, através da experiência, ele descobre, para seu espanto, que não é livre, mas sujeito à necessidade, que apesar de