• A MORTE FELIZ – ALBERT CAMUS:

    Por Juliana Vannucchi “Não há grandes dores em grandes arrependimentos, nem grandes recordações.Tudo se esquece, até mesmo os grandes amores. É o que há de triste e ao mesmo tempo de exaltante na vida. Há apenas uma certa maneira de ver as coisas e ela surge de vez em quando. É por isso que, apesar

  • UMA LEITURA POSSÍVEL SOBRE O ABSURDO DE ALBERT CAMUS: ‘O ESTRANGEIRO’:

    Por Juliana Vannucchi e Pedro Bracciali PRIMEIRA PARTE: O ABSURDO DO MUNDO: A intensidade conferida à narrativa de ‘O Estrangeiro’, pela construção de Camus, sugere ambientes vazios de paisagens e de interesse, sob um sol sempre excessivo a subir no horizonte, provocando ardência no rosto e ofuscando a visão. Seriam as lembranças trazidas da infância,

  • O ABSURDO COMO TEMA DO ÁLBUM DRUSBA:

    por Juliana Vannucchi Camus foi um dos pensadores mais importantes da contemporaneidade. Foi filósofo, dramaturgo e romancista. Nasceu em Mondovi (Argélia) no dia 7 de novembro de 1913 e faleceu em Villeblevin (França) em 4 de janeiro de 1960. Destacou-se pela intensidade e qualidade de suas obras literárias, chegando inclusive, a receber um Prêmio Nobel