• A PESTE – Albert Camus:

      Por Juliana Vannucchi (…) O Natal daquele ano foi mais a festa do Inferno do que do Evangelho (…)        Ao lado de “O Estrangeiro” e “A Queda”, A Peste (publicada em 1947) é uma das principais obras literárias do pensador francês Albert Camus. A edição que li e que utilizei como

  • CAFÉ FILOSÓFICO – O ATO SUICIDA NA FILOSOFIA DE SARTRE, CAMUS E SCHOPENHAUER:

    CAFÉ FILOSÓFICO – O ATO SUICIDA NA FILOSOFIA DE SARTRE, CAMUS E SCHOPENHAUER: No dia 04/06/2016, Juliana Vannucchi e Pedro Bracciali conduziram uma reflexão crítica sobre o ato suicida, partindo, inicialmente, de perspectivas psicológicas e sociais e culminando numa exposição das filosofias de Arthur Schopenhauer, Albert Camus e Jean-Paul Sartre, três grandes pensadores ocidentais que

  • UMA LEITURA POSSÍVEL SOBRE O ABSURDO DE ALBERT CAMUS: ‘O ESTRANGEIRO’:

    Por Juliana Vannucchi e Pedro Bracciali PRIMEIRA PARTE: O ABSURDO DO MUNDO: A intensidade conferida à narrativa de ‘O Estrangeiro’, pela construção de Camus, sugere ambientes vazios de paisagens e de interesse, sob um sol sempre excessivo a subir no horizonte, provocando ardência no rosto e ofuscando a visão. Seriam as lembranças trazidas da infância,

  • O ABSURDO COMO TEMA DO ÁLBUM DRUSBA:

    por Juliana Vannucchi Camus foi um dos pensadores mais importantes da contemporaneidade. Foi filósofo, dramaturgo e romancista. Nasceu em Mondovi (Argélia) no dia 7 de novembro de 1913 e faleceu em Villeblevin (França) em 4 de janeiro de 1960. Destacou-se pela intensidade e qualidade de suas obras literárias, chegando inclusive, a receber um Prêmio Nobel