• O CONCEITO DE MAGIA NA FILOSOFIA DE SCHOPENHAUER:

    Por: Juliana Vannucchi   As obras de Arthur Schopenhauer são vastas e oferecem inúmeras abordagens e reflexões instigantes e profundas. Atualmente, é comum vermos o nome do pensador alemão ser associado diretamente ao pessimismo, embora a totalidade de seu legado carregue em si aspectos que se encontram muito além desse traço com o qual ele

  • ENTREVISTA COM LUAN CORRÊA DA SILVA:

    Por: Juliana Vannucchi “Há mais coisas no céu e na terra, Horácio, do que sonha a tua filosofia.” – Shakespeare, Hamlet. Luan Corrêa da Silva é Doutor em Filosofia pela UFSC, atualmente é Professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UECE e Pós-doutorando PNPD/CAPES. 1. Luan, recentemente você participou do “VIII Colóquio Internacional

  • SOBRE A VONTADE:

    Por: Juliana Vannucchi O pensamento de Arthur Schopenhauer parte de dois princípios específicos fundamentais: vontade e representação. Assim, para melhor compreender qualquer aspecto de sua filosofia, é relevante que essa base seja entendida, uma vez que, de alguma forma, tais elementos estão sempre presentes nas obras do filósofo. Schopenhauer parte do princípio de que o

  • OS CONCEITOS DE GÊNIO E IDEIA NA FILOSOFIA DE SCHOPENHAUER:

    Por: Juliana Vannucchi  Este texto pretende transmitir aos leitores os significados de dois conceitos presentes no sistema filosófico de Arthur Schopenhauer, que são: “Gênio” e “Ideia”. Para maior aprofundamento na compreensão e estudo de tais tópicos, sugerimos a leitura das seguintes obras: O Mundo Como Vontade e Representação e A Metafísica do Belo. O termo

  • SOBRE A REPRESENTAÇÃO:

    Por: Juliana Vannucchi Schopenhauer admite o mundo em que vivemos como uma representação, portanto, não sendo a coisa-em-si, mas sim um fenômeno. Conforme Safranski comenta (2012, p. 384): “O mundo é apenas representação que faço dele. A atividade representativa abrange ambos os polos, tanto o sujeito como o objetivo”. Nada no mundo é mais certo do

  • A METAFÍSICA DO AMOR – SCHOPENHAUER:

    Por: Juliana Vannucchi   Este texto é baseado na obra O Mundo Como Vontade e Representação. Neste livro, Arthur Schopenhauer discorre sobre diversos assuntos e, dentre tais, há um capítulo específico sobre o amor, que é justamente o foco deste presente material. Um primeiro esclarecimento importante é que a metafísica do amor está inteiramente conectada

  • O CONCEITO DE VONTADE NAS FILOSOFIAS DE A. SCHOPENHAUER E F. NIETZSCHE:

       Por: Alessandro Olivieri e Juliana Vannucchi Este texto busca apresentar as bases conceituais da Vontade, termo de imensa relevância nos contextos do sistema filosófico de dois grandes pensadores contemporâneos: Arthur Schopenhauer (1788 -1860) e Friedrich Nietzsche (1844-1900). Para tal, são feitas analogias que exploram tanto diferenças quanto semelhanças entre os significados da Vontade.  O

  • A MANIFESTAÇÃO DA VONTADE NA FISIOLOGIA VEGETAL:

    Por Juliana Vannucchi   Um dos pilares da filosofia de Arthur Schopenhauer é ao conceito de Vontade que, resumidamente, pode ser compreendida como o princípio metafísico irracional e eterno, a “coisa em si” que se encontra, de maneiras distintas, presente em todos os elementos da natureza (tanto dos orgânicos quanto dos inorgânicos), através dos quais

  • SOBRE A LOUCURA:

    Por Juliana Vannucchi     Em sua obra magna, denominada O Mundo Como Vontade e Representação, Arthur Schopenhauer dedica um capítulo para analisar a loucura. Abaixo, segue uma exposição textual dos principais tópicos deste tema, feita com base no referido livro.    Há dois tipos de loucura que são analisadas neste capítulo, sendo que cada uma

  • SOBRE A ESSÊNCIA ÍNTIMA DA ARTE – Arthur Schopenhauer:

    Por Juliana Vannucchi (…) As artes dizem: “Vê aqui, eis a vida (…) * Sobre a Essência Íntima da Arte (O Mundo Como Vontade e Representação, Tomo II, Capítulo 34, em conexão com o 49 do primeiro Tomo).     A essência da arte é apresentada logo nas primeiras linhas do capítulo, e ela consiste, conforme